Entrou como ladrão e saiu como um príncipe

Onde será que posso encontrar um esposo ideal para a minha filha?

Esta era uma questão que todas as noites torturava a mente de um Rei.

Passava longas horas em silêncio, preocupado com o futuro da sua filha.

Onde será que posso encontrar um genro que fará da minha filha a mulher mais feliz do planeta?

Numa certa noite gelada, acompanhada de uma chuva torrencial e fortes relâmpagos o Rei mandou chamar um dos seus subordinados e pediu-lhe que fosse até a mesquita a procura de algum jovem que estivesse ocupado na adoração do seu Senhor.

Por mera coincidência um ladrão decidiu entrar na mesquita com intuito de roubar o que fosse possível.

Chegou a Mesquita alguns instantes antes do subordinado do Rei e a sua tropa.

O ladrão encontrou a porta da mesquita fechada, mas conseguiu saltar o muro e entrar dentro dela.

Enquanto procurava algo precioso para roubar ouviu um barulho como se alguém estivesse a abrir a porta.

Todo com medo, apesar do frio, o suor vertia da sua face.

O que faço? Serei pego ó meu Deus!

Não teve outra saída além de fingir que estivesse a observar a oração (Salah).

Os soldados com toda força abriram a porta da mesquita e para a surpresa deles encontraram este jovem a orar.

Um dos subordinados disse:

Quão piedoso é este jovem! De tanto amar a oração, quando encontrou a porta fechada preferiu saltar o muro.

O ladrão de tanto medo não terminava com a sua oração, prolongava horas e horas, e os subordinados iam ficando cada vez mais admirados, Quão piedoso é ele!

Depois de notar que aqueles homens estavam lá a sua espera e que nunca desistiam, o jovem decidiu entregar-se.

Pegaram-lhe pela mão e levaram-o até o Rei.

Os subordinados não tinham palavras para descrever a piedade daquele jovem diante do Rei.

O Rei todo satisfeito e alegre, disse: É exactamente este que eu estava a procura a longos anos, hoje o encontrei e o farei casar com a minha única filha.

O ladrão não acreditava naquilo que estava acontecer com ele, será que não trata-se de um sonho?

Beliscou a sua pele para ter a certeza que não tratava-se de um sonho.

Depois de estar convicto que tratava-se de uma realidade, disse em tom baixo o seguinte:

Ó meu Senhor fizeste de mim um rico e príncipe só por causa de uma oração fingida… Como seria o seu presente se sempre eu fosse sincero na sua adoração?